Inspiração

A lua minguante e a transformação pessoal

por Camile Carvalho em 19/05/2017

Hoje venho falar sobre a lua minguante e sua relação com o desapego. Infelizmente não sei a autoria desta imagem, procurei pelo Google e as referências remetem sempre ao Pinterest ou Tumblr, mas quem souber o autor, favor me avisar que colocarei os créditos (editando, é Enkel Dika 🙂 ). Mas o que tem a ver esta imagem com a lua minguante? TUDO.

A lua minguante é um período muito favorável aos desapegos. À faxina. Uma época em que precisamos remover nossas camadas de células mortas, nossa pele que já não combina mais com quem queremos nos transformar. É a época de deixar pra trás, de se despir do antigo e se preparar para o novo.

Certa vez li sobre um monge que explica o desapego da seguinte forma: imagina que você tem um copo com água suja de lama. Caminhando pela floresta você sente sede, mas não pode beber daquela água por estar contaminada. Então, você encontra um rio de água pura e cristalina. O que você fará? Completará o copo com esta água? Não. Você precisará despejar a água do copo fora antes de enche-la com a água limpa.

E assim como este astronauta na ilustração age, podando, cortando, limpando, que devemos agir. Se queremos nos transformar pra algo novo, por que continuamos agarrado às nossas velhas estruturas? Se não queremos mais agir de determinada maneira, por qual motivo ainda nos sentimos apegados? A resposta é simples: ego e medo.

Nosso ego ainda fica apegado ao “EU SOU“. Eu, eu, eu, sempre o eu. E temos medo, muito medo do que virá pela frente. Mas, enquanto estivermos apegados à nossa imagem no espelho, não poderemos desfrutar de novas descobertas, de transformações profundas e de desenvolvimento.

Lembrem-se sempre, pra que possamos subir as escadas da vida, precisamos subir degraus. E pra passar para o próximo degrau, precisamos tirar o pé do degrau anterior.

Aproveite este momento para refletir, pra introspecção. Do que você pode desapegar? O que você não quer mais em sua vida? Vamos, abra as gavetas, as portas, remova o que não te serve mais. Experimente fazer isso tanto emocionalmente quanto fisicamente. Há quanto tempo você não faz uma arrumação em seu armário? Doe, desapegue, abra espaço para receber coisas novas, ou não. Ou simplesmente deixe o espaço vazio. Não há nada de errado com o vazio. Não precisamos nos manter cheios constantemente. Experimente o vazio, não há nada de errado com isso. Não precisamos estar completos, transbordando. Não precisamos ocupar nosso tempo com algo “útil”. Desfrute da inércia, não se sinta culpado. Aprecie o nada.

Do que você pode desapegar hoje?

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr


comentários via facebook

3 comentários leave one →

  1. Hoe, Camile! Tudo bem? 🙂

    Estou vivendo uma fase louca de desapego e foi aqui que descobri o motivo deste impulso todo, haha!
    Estou me livrando de roupas, materiais, contatos desnecessários, contas inativas, assim como tentando me desfazer de métodos ineficazes e hábitos ruins… 🙂 O primeiro passo para pavimentar novos rumos, vamos lá!

    Obs.: pelo que pude pesquisar, a ilustra é de Enkel Dika, um artista ilustrador da Macedônia 🙂

    Beijos, flor~

    Responder
    • Olá, querida!

      Que bom que está nessa energia do desapego! Aproveite pra fazer aquela faxina na vida! 😀

      Muuuito obrigada por descobrir o ilustrador! Meus métodos de fuçar o google não foram tão eficazes quanto os seus.

      Beijos!!

      Responder
  2. Que legal …. Amei a postagem! Eu nunca fui de apegar, rs … Sério, sou meia estranha… E tipo, tudo novo, recomeço… Fazem parte da vida de qualquer ser humano né?!

    Responder