Perguntas frequentes sobre Vida Minimalista (FAQ)

Nesta página esclareço algumas dúvidas de leitores que recebo com frequência. Se você tiver alguma questão, escreva no formulário de comentários ou mande-me um email para contato@vidaminimalista.com

 

Queria adotar o minimalismo na minha vida, mas tenho muito apego aos meus livros/roupas/CDs/etc.

Uma vida minimalista não significa se desfazer das coisas que gostamos. Muito pelo contrário. Quando vamos iniciar um processo de desapego e destralhe dos nossos pertences, temos a chance de estar em contato com tudo o que possuímos e de refletir se aquilo é ou não importante em nossas vidas.

O desapego é feito daquilo que já não nos serve mais, tanto objetos materiais quanto sentimentos que guardamos. O ponto do minimalismo é estar bem consigo mesmo e cercado de objetos que amamos de verdade, e não de tralhas que não fazem o menor sentido. Minimalismo não é ter menos que o necessário, mas o suficiente. Se você ama seus livros/CDs etc., fique com eles! O importante é olhar ao nosso redor e ver que carregamos conosco aquilo que nos faz felizes.

Textos complementares:

» O Minimalismo e a quantidade

» O que aprendi com minha Vida Minimalista

 

O minimalismo é relacionado à alguma religião em específico? Sou ateu/agnóstico/etc.

Não. Embora muitas religiões preguem a simplicidade de vida como um dos aspectos fundamentais para se alcançar um progresso espiritual, o minimalismo em si não tem ligação com religiões.

Podemos perceber, porém, que o budismo prega muito o desapego, o taoísmo/feng-shui nos incentiva a passar adiante aquilo que está estagnado em nossas vidas e deixar as energias fluírem, São Francisco de Assis, da religião católica, é um exemplo de simplicidade entre tantos outros personagens ou correntes religiosas. Podemos vê-los como seres iluminados com uma visão mais espiritualizada ou através de uma visão mais secular, como inspirações.

comentários via facebook