Como planejar a compra de roupas

por Camile Carvalho em 02/07/2014

Como planejar a compra de roupas | Vida Minimalista #vidaminimalista

Ontem fiz compras. Depois de passar meses separando o que não me servia mais, o que não combinava mais com minha personalidade ou que eu não gostava por qualquer motivo, acabei ficando com um guarda-roupa enxuto, contendo apenas peças que eu me sinto bem usando. Porém, alguns itens que eram “coringas” acabaram indo embora nessa leva de desapego por não servirem mais em mim ou pelo desgaste de tanto usá-los, como foi o caso da minha legging preta.

Estamos no meio do ano, um inverno meio quente aqui no Rio de Janeiro, mas mesmo assim estou aproveitando pra me conhecer melhor. Tenho me sentido muito bem usando meias com botas, sapatilhas e saias/vestidos, e as calças jeans já não estão me agradando tanto. Sempre usei jeans com camisa e tênis, mas por algum motivo esta combinação já não diz muito de mim, embora seja uma solução rápida e fácil para dias corridos. Não deixei de usá-las, apenas não tenho mais tanta vontade. Resolvi então investir em peças com as quais me sinto bem e vou compartilhar com vocês algumas dicas que usei na hora de escolher roupas novas.

Planejando um guarda-roupa

Planejar um guarda-roupa pode parecer complicado, mas quanto mais organizações, destralhamentos e doações fazemos, mais conhecemos as peças que temos e temos uma visão geral de como combiná-las entre si. Tenho deixado roupas com cores mais sóbrias, como o preto, cinza e marrom e evitando as coloridas, mas não as excluí totalmente: deixo a cor para alguns detalhes, e percebi que ficou muito mais fácil decidir o que usarei no dia.

Fazendo uma lista

Enquanto organizava minhas gavetas, analisando peça por peça o que ficaria e o que iria pra doação, percebi que algumas camisas combinariam bem com determinada saia. Ou que aquele vestido combinaria bem com uma bota de cano curto. Fui anotando as ideias em um papel, fazendo uma lista de peças que faltavam em meu armário e depois analisei deixando apenas aquelas que combinariam com várias. Às vezes é melhor comprar uma única peça que vai multiplicar as possibilidades de combinação de roupas, e foram estas peças que deixei na minha lista de próximas compras.

A importância da lista

Quando saímos para um shopping com o intuito de fazer compras, tudo fica muito vago e podemos perder o foco adquirindo roupas que não combinam com nada, mas que estão em promoção. Quantas vezes vocês já viram um manequim vestindo um casaco lindo e imediatamente nos imaginamos usando aquela peça, mas que na realidade não temos outras que combinem – ou o clima da cidade não favorece? Ter em mãos uma lista do que vamos comprar é essencial pra não nos perdermos na hora da escolha das peças. Foco é fundamental!

Pesquise, pesquise e pesquise!

Não compre na primeira loja que entrar, mesmo que aquela calça esteja num preço muito bom. Se você tem a lista em mãos, é uma facilidade pesquisar não só os preços, mas se os modelos vestem bem, se é confortável e se compensa, para não se arrepender depois. Vale lembrar que às vezes é melhor pagar um pouquinho mais caro e ter uma peça de qualidade, que vá durar bastante do que se empolgar na promoção e levar uma roupa que daqui a um mês já estará com as costuras se desfazendo. Por outro lado, não se iluda que preço significa qualidade. Muitas peças que custam caro (mas que têm uma etiqueta chique) vêm da mesma fábrica que outra loja não tão conhecida. Reconhecer a qualidade do produto é fundamental.

O que estava na minha lista?

Nas últimas arrumações do meu guarda-roupa, anotei algumas peças que eu gostaria de comprar, pra aumentar a possibilidade de combinações entre as roupas que eu já tinha. Como exemplo posso citar que eu tenho alguns vestidos, meia-calça preta, mas uma bota marrom, que não combina com as cores dos vestidos que tenho nem com a meia preta. Comprar uma bota de cano curto preta combinaria tanto com meus vestidos quanto com jeans. Uma dica legal é justificar o porquê de precisarmos de determinada peça. Muitas vezes queremos algo mas depois percebemos que não temos motivo algum para comprá-las. Minha lista ficou da seguinte forma:

1. Bota preta (cano curto)

2. Legging preta

3. Vestido de manga comprida para o frio

4. Saia preta

5. Saia estampada (para usar com meia preta e a bota nova)

6. Casaquinho para dias nem tão frios nem tão quentes

7. Óculos escuros de boa qualidade (ainda não comprei dessa vez, vou esperar encontrar um que combine muito comigo)

Fiquei com essa lista por um tempo, mas sempre que via algo para comprar, não era exatamente o que eu queria ou o preço não compensava. Não tive pressa, poderia ter comprado uma peça em um mês e outra no mês seguinte, mas pra minha sorte, ontem estava inspirada e consegui encontrar exatamente as peças que eu queria – e num preço bom. Vou dizer, é muito bom mentalizar uma saia preta com estampa florida e a encontrar em uma loja com a etiqueta remarcada pra um valor muito mais barato que o normal. 🙂

vida-minimalista-comprando-roupas-2

Minhas compras: apenas itens da minha lista

O que não estava na minha lista?

Ao mesmo tempo em que eu faço uma lista do que eu preciso comprar, também penso um pouco sobre o que não preciso. Como estou usando mais vestidos, saias, sapatilhas e menos jeans e tênis, mesmo me deparando com calças bonitas, All Star na promoção ou casacos de frios lindos, não vou comprar. É importante sabermos também do que não precisamos, para não levarmos pra casa peças desnecessárias. Melhor saber com clareza que não preciso de um jeans porque já tenho dois, do que ficar na dúvida na hora da compra, experimentar e levar só porque está barato.

Uma dica importante

Algo que ultimamente tem sido meu mantra é “use tudo o que você tem“. Não precisamos guardar a sete chaves aquela calça que nos custou caro. Nem aquele sapato. Não quero deixar ocupando espaço algo para uma ocasião especial, então tenho tentado usar de tudo um pouco no meu dia-a-dia. Simplesmente porque mereço o melhor.

E você, como organiza suas compras? Faz algum planejamento antes? Compartilhe suas ideias!

Compartilhe:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on Tumblr


comentários via facebook

9 comentários leave one →

  1. Camile,
    Seu post diz tudo que penso e pratico. E é tão bom ver que mais pessoas são assim!
    Quando plenejava um intercâmbio, destinei todo meu salário para antecipar o pagamento da viagem completa e nisso, não sobrava nada para roupas e sapatos. Foi mais de um ano sem uma compra nova, e aprendi muito com isso!
    Aprendi a fazer combinações, que muito do que comprava usava poucas vezes e não se aplicava ao meu estilo.

    Que todos possam se motivar e inspirar com essas dicas!

    🙂

    Responder
  2. Giovanna

    “Porque eu mereço o melhor” nossa, vc fechou o texto com chave de ouro! E é isso mesmo, Thais!! Nunca podemos de esquecer de: nós mesmas!! Meu novo mantra pra Julho!!! Rsss…Bjos

    Responder
  3. Aqui em casa temos uma regra simples: entra um, sai um. Se compro/ganho uma camisa polo, por exemplo, tiro uma e mando para doação. A regra ajuda a executar o “use tudo o que tem”

    Responder
  4. Adorei essa dica, Camile. Tambem estou num processo de destralhamento. Dias desses comecei um inventário e percebi que ainda tenho MUITA coisa. Felizmente muito do que tenho combina entre si mas ha muitas coisas que uso raramente, então, vou repassar.

    Muito esclarecedora a maneira como você fez esse post! Sem sombra de dúvidas um ótimo direcionamento pra quem quer comprar de forma consciente!

    Responder
  5. Acho que a parte mais difícil é se controlar e não comprar o que a gente não precisa. haha Mas acho que tudo isso é um processo, não dá para radicalizar nem querer mudar de uma hora pra outra né? Meu processo de destralhamento levou quase 1 ano, agora estou trabalhando essa questão de só comprar o que preciso ou me desfazer de algo para outra peça poder entrar no guarda-roupa. Não é fácil, mas um dia chegamos ao equilíbrio! 🙂
    Beijo

    Responder
  6. Thaís

    Obrigada pelo post, adorei 🙂

    Responder
  7. Luiza Rodrigues

    Amei o post, seu blog me inspira muito!!

    Responder
  8. Renata

    Nossa, encontrei tudo o que eu estava procurando saber nesse post. Estou realmente precisando de roupas novas, mas não sabia exatamente como acertar na escolha… Me tornei mãe a 9 meses e desde então só fiz compras no natal kkk. Depois que ganhei bebê fiquei beeem magra, tenho 1,50 e peso uns 48kg então fico com receio de comprar muita roupa e ganhar peso e perder as peças, principalmente calças, shorts… Além do mais estou sem estilo definido, e ainda amamento, então nem tudo que vejo e me cai bem ajuda na hora de amamentar. Entanto vou procurar vestidos, saias e blusas arrumadas. Vou esquecer um pouco as calças e shorts já que se perdem facilmente com o ganho de peso. Muito obrigada pelo post.

    Responder
  9. Danielle

    Uma dica legal é vender pro brechó as roupas e sapatos que não usaremos mais. Podemos doar também, mas vendê-las nos ajuda a receber um dinheirinho. Fiz uma completa arrumação no meu guarda roupa e tirei sacolas de roupas que não me servem mais. Fiquei assustada com a quantidade que eu tinha guardado mas que não usava. Desnecessário né? Mas aproveitarei e vou vender porque estou precisando de uma graninha.

    Responder