Carta do Leitor

Depoimento: “O sentimento de liberdade é maravilhoso!”

por Camile Carvalho em 25/03/2013

Hoje publicarei uma carta da leitora Juliana, que nos escreveu para contar o que fez para organizar suas maquiagens. Vamos ler?

Gostaria de relatar as mudanças que realizei na minha casa após ler suas matérias sobre minimalismo. Trabalho em um escritório de Arquitetura e Design de Interiores e seguimos muito essa linha mais clean. Portanto, já é meio que instintivo a minha rotina ser minimalista. Porém, como todo ser humano que se preze, sempre pecamos em algum aspecto das nossas vidas. Eu, por exemplo, acumulo muita bijuteria e maquiagem. Já alguns anos que fiz uma faxina nas bijus, doei muitas, joguei fora outras e não caio mais na tentação de entrar nessas lojinhas e sair comprando tudo. Mesmo porque, há alguns anos comprei uma moto e convenhamos, capacete e maxi brincos não combinam. Mas, as make ups são praticamente um vício. Todo mês quero comprar algum produto, uma novidade que é lançada, uma nova tecnologia para bases, enfim, tudo que é demonstrado em tutoriais, fico me coçando para comprar.

Mesmo me controlando nas compras, lógico, para não ficar endividada, em um período de 3 anos, acumulei tantos produtos, mas tantos, que eu já tinha uma gaveta cheia, mais 2 necessaires lotadas de make ups. E o pior de tudo? Eu usava apenas 30% de tudo aquilo. Então, há duas semanas, li sua matéria sobre organizar as maquiagens e resolvi fazer uma faxina geral. Nossa! E que faxina! Para doação mesmo, foram poucas coisas, o restante precisei descartar. Não sei se acontece com você também, mas assim que chego em casa com a makeup nova, a primeira coisa que faço é tira-la da embalagem e guardo a mesma em uma necessaire. A embalagem em si, descarto. E o que dei conta na hora da faxina?  Que o prazo de validade dos produtos só constam nas embalagens e não nos produtos. Ou seja, na dúvida, fiz uns cálculos de cabeça e o que achava que já passava de 2 anos acabei descartando. Mas, enfim, o sentimento de liberdade é maravilhoso.

De uma gaveta e duas necessaires, só fiquei com uma necessaire bem levinha com o básico. E já avisei meu marido para me vigiar. Disse a ele que só posso comprar outro produto se o que eu estiver usando acabar. Aos poucos, estou aplicando esse processo na casa em geral. Roupas e sapatos já passaram pela organização. O próximo item da  minha lista é o armário de remédios. Na verdade, referente as makeups, estou sentindo que estou me libertando daquela obrigação que sentia de adquirir todos os produtos e novidades que eram lançados. Era sempre uma tortura, pois, na maioria das vezes, eram produtos muito caros e nem sempre eu tinha dinheiro para comprá-los. Ou então comprava e parcelava a perder de vista. Estou me sentindo muito melhor, com o espirito mais leve. Suas dicas foram de grande ajuda. Obrigada mesmo!

 Juliana.

+++

Obrigada pelo seu relato, Juliana! Eu também descarto a embalagem das maquiagens assim que as compro e reparei que, quando o prazo de validade vem estampado no próprio produto, após tanto uso a tinta acaba saindo e ficamos sem conseguir ler a data. Outros produtos realmente não possuem o prazo, o que é um erro! Você fez certo em descartar as maquiagens com o prazo de validade vencido, muitas pessoas as guardam por pena de doa-las e acabam sendo vítimas de processos alérgicos. É muito perigoso, principalmente os que usamos na região dos olhos. Fiquem atentos!

E você, tem alguma história para nos contar? Como o minimalismo ajudou em sua vida? Qual sua dica de organização pessoal? Qual método melhor funcionou com você? Envie sua história para contato@vidaminimalista.com, que em breve será publicada! Não quer ser identificada? Não tem problema! Basta informar no email que não publicarei seus dados. Aguardem mais histórias! Até a próxima!


1 comentário leave one →

  1. Bruna

    Adorei ver esse relato compartilhado aqui no seu site, Camile. Acho tão bacana ver que várias pessoas estão aderindo ao minimalismo! 🙂 Em um mundo “ligado no 220”, é raro encontrar pessoas que desejem justamente o contrário: acalmar. Tô tentando fazer uma coisa de cada vez, deixar poucas abas abertas no navegador, desacelerar… tudo isso tem gerado pessoas stressadas e ansiosas.

    Um brinde à sua vida nova, Juliana! E a de todos nós! 🙂

    Abraço!

    Responder