Carta do Leitor

Depoimento: “O que parecia luxo era tralha”

por Camile Carvalho em 19/03/2013

Hoje seguiremos com mais um relato de uma leitora, a Vanessa* sobre como o minimalismo fez diferença em sua vida. Vamos conferir o que ela fez com suas roupas?

Meu relato é o mais honesto possível, sintético, de uma experiência devastadora…

Há alguns anos, eu arrumava o meu quarto. Os armários estavam todos vazios, espalhados na cama e no chão objetos de diferentes fases de minha vida. Minha mãe entrou e comentou: “Uma menininha como vc realmente precisa de tanta coisa?”

Sou mignon (167 cm e uns 55 kg) e o que tinha dava para vestir uma dúzia de pessoas pelo menos. Terrível descobrir a verdade, este cair a ficha causou desolação. Estava exagerando na dose. Fiquei 6 meses sem fazer comprar, e analisando o que realmente usava das “posses”. Saíram sacolas de doação enormes ( já não combinavam comigo, estavam muito surradas ou nem frequentava ambientes onde pudesse usar). O que parecia luxo era tralha.

Nestes dois anos seguintes, continuei prestando atenção. Para entrar no clima minimalista de vez, decidi que cada peça nova adquirida, saíram 2 outras durante um ano (não importava se eram ganhas ou compradas). Nos primeiros três meses até que foi fácil. Depois, complicou… do que me desfaço? Tirei peças repetidas, esvaziei o guarda roupa. E para minha surpresa, ele era cheio de nada. Fiquei com um look mais jovial, com peças de boa qualidade apropriadas para onde vou. Consegui controlar o consumismo e mantenho a decisão.

* A Leitora pediu que não fosse identificada, portanto, sua identidade será preservada.

***

E você, tem alguma história para nos contar? Como o minimalismo ajudou em sua vida? Qual sua dica de organização pessoal? Qual método melhor funcionou com você? Envie sua história para contato@vidaminimalista.com, que em breve será publicada! Não quer ser identificada? Não tem problema! Basta informar no email que não publicarei seus dados. Aguardem mais histórias! Até a próxima!


2 comentários leave one →

  1. FABIO COSTA GONZAGA

    Tenho pensado muito a respeito do viver minimalista…De certa forma, mesmo não conhecendo a expreesão ‘minimalista’, algo em mim dizia, desde muito, que deveríamos lutar pela leveza continuadamente, ainda que possivelmente inatingível, assim como a verdade. No momento acredito que o maior desafio seria, sempre foi, lançar em uma mesma equação o ‘mínimo’ e o ‘decurso do tempo’. Como buscar a leveza em face do decurso do tempo e de sua ação deletéria em nossas vidas…?

    Responder
  2. Bruna

    Concordo plenamente com a Vanessa. Acho essencial que nos desfaçamos de certas coisas. A gente muda e as vezes ficamos muito apegados em certas coisas que já não tem nada a ver com a gente.

    Aos poucos estou destralhando várias peças do guarda roupa, cadernos, cartas antigas….

    Responder